Menu fechado

McKinsey: Reflexões estratégicas sobre o open insurance

open insurance

Reflexões estratégicas sobre o open insurance: quatro especialistas da McKinsey discutem a transformação da tecnologia no mercado segurador.

Na esteira da inovação e evolução do Open Banking rumo a um ambiente mais amplo de compartilhamento de informações que converge ao Open Finance, surge o Open Insurance integrando nesse escopo as operações de seguros e previdência. Essa transformação permitirá que os consumidores acessem e compartilhem seus dados com seguradoras de forma segura e ágil. Isso pode, e deve, mudar os produtos ofertados através do desenvolvimento de soluções mais personalizadas, trazendo uma melhor assertividade ao risco e uma melhor precificação, além de fomentar a indústria com produtos mais acessíveis e promover maior concorrência no setor.

No Brasil, a agenda regulatória já começou, com a primeira fase iniciada em dezembro de 2021. As novas fases se estenderão até a metade de 2023, quando estará totalmente implementada e pronta para provocar a inovação nessa indústria que ainda é vista como bastante tradicional. Mas afinal, o que esperar do “Open Insurance”?

Uma parte das discussões é se o mercado ficará mais acessível, qual o grau de impacto nos produtos existentes, quais novos produtos emergirão e que nível de disrupção provocará ao setor. Ainda existem muitas incertezas, mas uma das conclusões da McKinsey & Company é a grande necessidade das seguradoras e corretores se prepararem e atuarem proativamente desde já para as mudanças que se aproximam.

[ Ler o artigo completo no Pipeline ]

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.