Menu fechado
Pacote LGPD

Empresas devem avaliar planos de saúde oferecidos aos colaboradores

A ANS (Agência Nacional de Saúde) aprovou um aumento de 15,5% nos planos de saúde individuais e familiares. O reajuste vale para todos os planos médico-hospitalares regulamentados, ou seja, contratados a partir de janeiro de 1999 ou adaptados à Lei nº 9.656/98. A decisão foi tomada em 26 de maio, com apreciação do Ministério da Economia e aprovação da Diretoria Colegiada.

O valor do reajuste é o maior da série histórica, iniciada em 2000, ficando à frente dos 13,57% de 2016. O cálculo para se chegar a este número leva em conta as variações nas despesas assistenciais e o IPCA, Índice de Preços ao Consumidor Amplo. Segundo as informações mais recentes, o Brasil tem quase 50 milhões de beneficiários de planos de saúde. O novo índice deverá afetar cerca de 8 milhões deles.

O aumento começou a valer para os contratos com aniversário entre maio deste ano e abril de 2023. O percentual de 15,5% é o valor máximo que poderá ser aplicado em cima das mensalidades. Vale lembrar que os planos de saúde foram reajustados com percentual negativo em 2021 pela primeira vez na história (-8,19%), resultando na diminuição do valor das mensalidades entre maio daquele ano e abril de 2022.

“Houve queda na realização de procedimentos, como consultas, exames e cirurgias, em 2020, ano da pandemia, em decorrência das medidas protetivas adotadas para evitar a disseminação da Covid-19. É possível, então, concluir que o reajuste acumulado de 15,5% deste ano e o reajuste de -8,19% do ano passado equivale a um aumento de 2,97% anual nestes dois anos de pandemia”, afirma Marcelo Barsotti, CRO (Chief Revenue Officer) da Pryor Global.

Por isso, os beneficiários devem ficar atentos às informações contidas no boleto de pagamento da mensalidade, devendo verificar se o aumento de 15,5% está sendo respeitado e cobrado a partir da data de aniversário do contrato. Ao verificar qualquer irregularidade, é possível entrar em contato com a ANS por telefone (0800 701 9656) ou pelo “Fale Conosco” no site da entidade.

Além disso, os beneficiários que quiserem mudar de plano de saúde podem fazer a portabilidade de carências para outra operadora. Para isso, deve consultar o Guia ANS para fazer as devidas comparações. “Neste momento, é interessante que as empresas avaliem os benefícios e seguros de saúde corporativos que oferecem aos seus colaboradores e procurem consultorias, como a Pryor Global, para terem a certeza de que estão fazendo a melhor opção para os negócios e para suas pessoas”, conclui Barsotti.

N.F.Revista Apólice
The post Empresas devem avaliar planos de saúde oferecidos aos colaboradores appeared first on Revista Apólice.

[ Ler a notícia completa ]

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.